A importância do sono para o Aprendizado

Sono é algo difícil de controlar. Imagine-se exausto e com muito sono, tendo que realizar qualquer tipo de atividade. Ruim não é mesmo? Fica ainda pior quando se precisa estudar nestas condições. A falta de uma boa noite de sono acarreta negativamente o funcionamento do corpo humano, podendo causar sintomas como falta de apetite, dores de cabeça, falta de atenção, hiperatividade e irritabilidade. O processo de Cognição é a fase em que o corpo mais necessita de noites bem dormidas, afinal, cérebro cansado não trabalha direito e para assimilar tanto conteúdo novo, um boa noite de sono é fundamental.
 
Durante o ensino médio, principalmente nas provas de fim de ano ou nos dias que antecedem vestibulares ou ENEM, é muito comum que o estudante, no afã de conseguir estudar todo conteúdo das provas, acabe optando por sacrificar tempo de sono. Todavia, os efeitos de noites mal dormidas e do sono de má qualidade tem influência direta no desempenho do raciocínio e no processo de cognição do conteúdo estudado. Esse tipo de comportamento deve ser combatido por pais e evitado pelos estudantes, visando maior rendimento nos estudos e melhor qualidade de vida do estudante.
 
Já para os dorminhocos de plantão, aqui está uma notícia boa: dormir faz bem e ajuda o cérebro na consolidação do que foi aprendido. Enquanto dormimos, o cérebro continua trabalhando, memorizando o que foi aprendido e apagando memórias de curta duração, a fim de “abrir espaço” para novos conhecimentos. A atividade dos neurônios durante o sono é fundamental para o crescimento. Então, se você não dorme bem, é normal que seu dia não seja tão bom quanto o esperado e você fique sonolento por algumas horas.
 
 

Etapas do sono

 
A neurocientista e professora da Santa Casa, Carla Tieppo, alerta que “nosso sono não é igual durante a noite toda. Então, dormir pouco ou fragmentar o descanso com sonecas pode impactar nosso desenvolvimento no longo prazo”. [1]
 
Fase 1- Quando o sono está chegando. As ondas cerebrais diminuem o ritmo. Nesta fase é liberado o hormônio da serotonina, o mesmo que dá a sensação de sonolência.
 
Fase 2- As ondas cerebrais diminuem ainda mais, assim como o ritmo cardíaco, o relaxamento muscular e a temperatura corporal cai. Aqui o sono começa a transição de leve para pesado.
 
Fase 3- Nesta fase o corpo trabalha lentamente e o sono fica mais profundo. O coração bate devagar e a respiração fica lenta. Aqui ocorre a recuperação fisiológica.
 
Fase 4- Conhecida como fase REM (Rapid Eye Moviment), quando ocorrem picos de batimentos cardíaco e descargas de adrenalina, o cérebro dispara, voltando ao mesmo ritmo de quando estamos acordados. Fase na qual ficamos paralisados e ocorre os movimentos dos olhos, por isso o nome da fase “movimento rápido dos olhos”. Além da liberação do hormônio do crescimento.
 
 
As fases repetem-se durante a noite, formando um ciclo. Quando não são interrompidas, é considerado como uma boa noite de sono, no qual os ciclos se completam. O cérebro utilizada cada uma das etapas do sono para processar um tipo específico de informação. Por isso, é de extrema importância dormir uma boa noite de sono, de acordo com o tempo recomendado, para um melhor funcionamento do corpo e mente.
 
 

Horas de Sono Ideais para cada Idade

 
Estudos apontam que o tempo ideal de sono possui uma variação de indivíduo para indivíduo, considerando, preponderantemente, a faixa etária em que ele se encontra. Os bebês precisam de maior tempo de sono, podendo chegar a 15 horas, enquanto os adultos precisam de 7 a 9 horas e os mais velhos podem ter sua fadiga mental recuperada com um intervalo entre 7 a 8 horas de sono.
 

  • De 0 a 3 meses: 14 a 17 horas
  • De 4 a 11 meses: 12 a 15 horas
  • De 1 a 2 anos: 11 a 12 horas
  • De 3 a 5 anos: 10 a 13 horas
  • De 6 a 13 anos: 9 a 11 horas
  • De 14 a 17 anos: aproximadamente 10 horas por dia
  • De 18 a 25 anos: 7 a 9 horas
  • De 26 a 64: 7 a 9 horas
  • 65 ou mais: 7 a 8 horas

 
A falta de sono pode acarretar em problemas maiores que o cansaço, podendo comprometer as sinapses e até mesmo limitar cognição. A limitação cognitiva, faz com que haja o aumento de uma proteína chamada beta amiloide, que está ligada, além da perda de memória, ao fato de não conseguir ter raciocínios lógicos. Dormir, além de ajudar na recuperação do corpo, previne doenças e melhora o desempenho intelectual da pessoa. Saúde mental é indispensável.
 
A rotina de estudos muitas vezes torna-se puxada e o cansaço é uma consequência normal na adolescência, afinal, o cérebro trabalha muito e necessita de energia para processar tanto conteúdo. A solução para esses casos é simples, é deitar e dormir para o corpo recuperar-se. Fazer o possível para ir dormir cedo e evitar ficar no celular irá ajudar seu cérebro a armazenar o que foi aprendido e facilitar a recuperação dessa informação quando assim for necessário.
 
 

Como ter uma boa noite de sono

 
São muitas dicas para lhe auxiliar a ter uma boa noite de sono. Especialistas recomendam coisas simples e que devem fazer parte de nossa rotina. Tais como:
 

  • determine um horário para dormir e acordar todos os dias, inclusive nos finais de semana;
  • evite tomar bebidas que contenham cafeína após as 17hrs;
  • faça leituras leves antes de dormir, pois é uma boa forma de relaxar a mente e corpo;
  • evite utilizar aparelhos eletrônicos quando for para a cama;
  • tente deixar o ambiente o mais escuro possível;
  • cuidado com o que comer antes de dormir, alimentos pesados irão prejudicar o processo de descanso; uma boa alimentação auxilia tanto no sono quanto na memória.

 

Curiosidades que acontecem enquanto dormimos

 

  • a produção de saliva diminui, deixando a boca mais seca. Se isso não acontecesse, a chance de nos afogarmos com a própria saliva é grande;
  • quando não dormimos o suficiente, o corpo libera o cortisol, um dos hormônio resultantes do estresse;
  • o cérebro faz uma limpeza, descartando informações inúteis (memórias de curta duração);
  • a temperatura do corpo cai pois há um temperatura ideal para o sono;
  • o sistema imunológico se fortalece;
  • o corpo faz a recuperação de músculos, fibras e outras funções essenciais para a saúde.

 
1 – Exame Abril – consultado em 20/11/2015.

01/02/2018
Jade Zart