E se todos os espaços fossem inclusivos?

Você sabe pra que serve a #descriçãodaimagem?

Serve para que as pessoas com deficiências visuais possam saber como é a imagem que está disponível junto aos textos, em diferentes apps e redes sociais.

Professora Camila Zuchetto Brambilla, de Literatura do Ensino Médio trabalhou com os alunos da 2a série o “Descritivismo”. Os alunos fizeram descrições de imagens com esta que é uma das características mais importantes do Realismo literário: o Descritivismo.

Confira os Trabalhos Apresentados

Primeira Imagem

Em um post do twitter de uma página de memes de literatura chamada @ForLiveira, existe uma frase dizendo “Eu lendo o mesmo parágrafo pela 5° vez sem entender nada:”, faz alusão a um problema cotidiano contemporâneo, enfrentado por muitas pessoas.

Abaixo da frase, há uma imagem de um local que parece ser um laboratório, com muitos botões e computadores, existe primeiramente um homem amarelo careca de camiseta branca arrumando sua gravata colorida, que parece estar confuso com a situação que se encontra, como se ali não fosse o seu lugar.  Ao fundo dessa imagem atrás da porta do “laboratório”, existem um homem negro com roupas simples e pessoas amarelas de roupas diferentes, um deles está com jaleco branco aparentando ser um cientista, e todos parecem estar debochando do homem amarelo careca por estar confuso com a situação.

Ainda na imagem, existe uma frase “Meu deus, eu fui msm alfabetizado?”, fazendo ironia com a alfabetização e o nível de escolaridade das pessoas no mundo.

Gabriel A. Krieger – 2°B

Segunda Imagem

A obra, possivelmente, pintada com tinta a óleo, retrata duas figuras principais. No cenário, a janela antiga de tinta azul desbotada e aberta se apresenta bem ao centro, do lado de dentro está escuro, destacando as cores por fora. A madeira de base, dessa janela, com rachaduras e pregos. A parede ao redor mostra-se bem rústica com marcas do tempo, seu reboco, branco e partes amareladas, quebrado com alguns tijolos aparecendo. Entre as figuras, uma mulher vestida com uma blusa vermelha e com detalhes em formato de pequenas circunferências, situa-se em pé apoiada à janela do lado de fora, segurando um pano velho sobre o ombro, com decorações avermelhadas e com algumas partes amarelas, provavelmente, de sujeira, levando em conta que o pano era branco. Ela possui cabelos amarrados e pretos, apresenta uma aparência de exaustão e canta a melodia com esforço. A outra figura destacada é um homem que se encontra sentado e apoiado na coluna esquerda em cima da janela, tem cabelos pretos e curtos, veste uma camisa xadrez azul com listras brancas e uma calça amarelada, além de usar um chapéu preto desbotado. Ele segura um violão de madeira e, supostamente, toca e canta uma música, também, com muito esforço.

 Isabela Brant Fiod – 2°B

Na imagem podemos ver um homem sentado de lado na janela de uma casa, ele está vestindo uma camisa quadriculada com tons de azul e branco, uma calça bege clara e um chapéu verde escuro. Em suas mãos ele segura um violão, como se estivesse tocando uma canção. Na sua frente vemos uma mulher com seu cabelo preso, segurando um lenço com as mãos em volta de seu pescoço, ela veste uma blusa solta, vermelha com bolinhas, e na parte de baixo uma saia escura. A janela na qual estão é feita de madeira com uma tonalidade envelhecida azul clara, a parede onde encontra-se a janela possui tijolos à vista na parte inferior, e na parte superior observamos a tinta branca desgastada e rachada.

Beatriz Virissimo – 2°B

Na imagem, há uma janela de madeira com uma pintura azul, que já está descascada, em uma parede com uma pintura branca também descascada, dando para ver a parte mais estrutural da casa, que aparentemente é feita de madeira sendo a parede em si, feita do que parece ser um barro seco. Sentado na janela, há um homem magro e moreno, por volta de seus 30 anos, com seus cabelos escuros sendo ocultados por um chapéu cinza que reside em sua cabeça. Está usando uma camisa xadrez, com tonalidades entre branco e um azul claro, sendo sua calça totalmente branca. Na mão, toca uma pequena viola, de uma cor amarelada, com o cabo de um marrom escuro, sendo a expressão que passa em seu rosto ser de calma e deleite. Logo abaixo dele, reside uma mulher de mais ou menos a mesma idade, com traços semelhantes, como o cabelo escuro e a pele morena. Usa o que aparenta ser uma camiseta vermelha com bolinhas brancas na parte superior que gradualmente vão se apagando das partes mais inferiores da camiseta, indicando uma camisa velha e suja, surrada pela tempo, junto de uma saia preta, que está na mesma condição. Nas mãos, segura as pontas de uma toalha vermelha e branca que está em volta do seu pescoço. Pela sua expressão, aparenta estar cantando junto a música que o homem toca.  

Henrique de Lima Schweitzer 2°A

Terceira Imagem

Dois homens estão um em frente ao outro, discutindo sobre uma das personagens do livro de Machado de Assis. Um deles diz “Capitu traiu Bentinho” com um sútil deboche em sua expressão e ênfase na palavra “traiu” e o outro rebate falando “Não traiu!” com uma expressão agressiva. Logo abaixo dos homens discutindo tem um desenho de um homem sentado confortavelmente em uma poltrona com pipoca nas mãos, olhando para um globo em chamas, esse homem está com uma foto de Machado de Assis colada no rosto simbolizando o mesmo observando o caos que foi criado devido a personagem de seu livro.

Maria Fernanda Ravadelli – 2° B

Primeiramente existe uma montagem de duas fotos em apenas uma, uma em cima e outra em baixa, a de cima tem um fundo preto e mostra um homem negro, careca, de óculos, vestido uma blusa com desenhos de onça, usando uma corrente  no pescoço e uma expressão de sorriso no rosto, dizendo “Capitu traiu bentinho” , na frente do homem negro a um outro homem, branco, cabelo cortado, estilo fade militar, vestido com um terno azul marinho, com uma gravata preta com desenhos redondos da cor salmão, uma camisa branca por baixo, e com a barba feita gritando para o homem negro “não traiu”, a cerca de uns 10 cm de proximidade do rosto do homem negro. Na imagem abaixo, um homem com o rosto do Machado de Assis dentro de um quarto marrom e Bege, sentado em uma poltrona de cor meio rosada bem fraca, apoiando os pés em um Puff da mesma cor da poltrona, enquanto come pipoca olhando um globo pegando fogo, que está em cima de um criado mudo 

Gabriel Henirque.

10/10/2020
Fernando Barcellos