Educação financeira desde a infância: como iniciar?

Quando nos tornamos pais, temos naturalmente uma preocupação com o futuro dos pequenos. São tantas coisas a ensinar que muitas vezes negligenciamos temas importantes, como e educação financeira. A educação financeira desde a infância deve constar entre os ensinamentos que transmitimos aos nossos filhos. É importante que eles aprendam, desde cedo, o valor do dinheiro e como usá-lo da melhor maneira possível.

Ensinar crianças a mexer com dinheiro parece uma tarefa complicada, mas passando os conceitos aos poucos e ensinando de forma interativa, vemos que não é um bicho de sete cabeças.

Sabemos a importância que o dinheiro tem em nossa vida. Conforme vamos crescendo os gastos vão aumentando, as responsabilidades vão sendo assumidas e por aí vai. Como muitas vezes os pais possuem dificuldades em saber como e por onde começar a ensinar, fizemos este post para contribuir nesse processo e mostrar como a educação financeira desde a infância é essencial para o futuro da criança.

Vamos começar?

Existe idade correta para ensinar finanças para criança?

Costumamos pensar em inserir o dinheiro na vida das crianças no momento em que começamos a dar mesada. Será que esse é o momento correto ou seria melhor fazê-los ter uma noção financeira antes de recebê-la?

É uma dúvida e tanto, mas se analisarmos pelo lado lógico, o mais recomendado seria dar educação financeira desde a infância, passando por alguns aprendizados antes de iniciar a mesada. Mas aí surge a dúvida: existe idade correta para ensinar finanças para as crianças?

Bem, o processo de educação é diário, mas sabemos que nas idades iniciais os pequenos não entendem como o dinheiro funciona. Devido a isso, especialistas indicam iniciar as finanças na vida das crianças a partir dos 5 anos de idade, pois nessa idade eles já começam a entender um pouco sobre o funcionamento do dinheiro.

Insira a educação financeira desde a infância aos poucos até os 7 anos, pois é quando eles estão assimilando o que é, percebendo a necessidade de ter e começando a entender sua importância. Nessa fase, é interessante que os pais deem moedas aos seus filhos, citando exemplos do que dá para fazer com o valor adquirido e até mesmo apresentando o conceito de poupar, mostrando que criança pode juntar algumas moedas e comprar algo mais legal no futuro.

Dos 8 aos 10 anos você já pode ir aumentando o valor e ir inserindo de fato a mesada quinzenal. A partir dos 10 anos a mesada pode passar a ser mensal. É importante ressaltar que a mesada deve ser algo a parte e não relacionada com tirar notas altas ou tarefas de casa. O dinheiro não deve servir de estímulo para o bom desempenho da criança, mas sim para adquirir conquistas, mesmo que pequenas.

A partir dos 12 anos você já pode ir transmitindo a importância de economizar de formas diferentes, como a economia da luz e água, mostrando como isso reflete diretamente no orçamento mensal familiar, assim eles compreenderão que sobrará mais para outras atividades e novas conquistas.

Agora a questão é: Como iniciar a educação financeira? Vamos lá!

Confira o post sobre a idade ideal para aprender um novo idioma!

Ensino Fundamental 1 - do 1º ao 5º ano

Ensino Fundamental 1 – do 1º ao 5º ano

O ingresso no Ensino Fundamental é um momento desafiador não só para o aluno, por estar se aproximando de um novo universo de conhecimentos e experiências, mas também para os familiares, que necessitam apoiar a criança na transição da Educação Infantil para o Ensino Fundamental. O Colégio Geração desenvolve atividades e propicia um ambiente escolar que auxiliam o aluno no processo de adaptação a esta nova etapa.

Conheça nosso projeto pedagógico para alunos do Fundamental 1 →

Como iniciar a educação financeira?

A tarefa de iniciar a educação financeira na vida das crianças não é algo complicado. Há diversas maneiras de se fazer isso, mas faça com calma e paciência, afinal, elas estão começando a entender como tudo funciona. Formas lúdicas e interativas de aprendizado são as mais recomendadas, pois aprender na prática é sempre mais fácil.

É interessante que a criança compreenda o que ela pode comprar com cada valor. Ensine que ela deve ter objetivos de curto, médio e longo prazo, assim, guardará dinheiro até chegar no valor que a faça alcançar o que almejou. Para isso é legal ter onde depositar o seu dinheiro, como não há necessidade de conta bancária nesse momento, o recomendado é que a criança tenha seu próprio cofrinho.

Procure ter três cofrinhos de tamanho diferentes, de acordo com a distância do objetivo que ela deseja concluir, ou seja, um cofrinho pequeno para sonhos de curto prazo, um tamanho intermediário para planos de médio prazo, e um grande para os sonhos que precisam esperar acumular um valor um pouco mais alto.

Aos poucos, vá transmitindo a importância de economizar, mas lembre-se, os pequenos vão cometer coisas que, aos nossos olhos, serão erros, mas não se estresse com isso. Mesmo adultos investimos em coisas desnecessárias que acabam ficando de lado ou subutilizadas. Todos nós precisamos passar por isso em algum momento, assim aprendemos o que vale ou não a pena.

Outra coisa muito importante é não julgar o que eles desejam adquirir. Cada um tem suas preferências, gostos e desejos. Se a criança quiser comprar algo, a menos que seja inapropriado para a idade, incentive. Isso fará com que ela tenha mais motivação para economizar e você ficará satisfeito quando ver o sorriso no rosto de quem deu um passo muito importante.

Bom, vamos tornar o assunto mais prático. Para isso, preparamos algumas dicas para ensinar educação financeira desde a infância de forma simples. Confira abaixo!

Dicas para ensinar educação financeira desde a infância

Como comentado anteriormente, a educação financeira desde a infância deve ser feita de forma prática para melhor compreensão. A partir daí, preparamos algumas dicas para auxiliar você nesse processo de ensino. Vamos às dicas!

→ Jogos: Aprender a mexer com dinheiro através de jogos é uma ótima ideia. As crianças costumam prestar mais atenção e aprendem mais rápido pois são divertidos e interativos. Portanto, jogos como banco imobiliário são bem-vindos.

→ Rotina: Mostre aos poucos como funcionam as contas fixas mensais da casa. Não tenha medo de achar que é demais para a criança, a partir dos 12 anos ela já estará preparada para isso. Todo mês, procure mostrar uma conta, explique como funciona o pagamento dela, as ações que podem ser feitas a fim de economizar e diminuir o valor a ser pago, além da importância de se ter responsabilidade com os gastos.

→ Passeios educativos: Quando for fazer um passeio em família, crie o costume de brincar com o valor das coisas nas lojinhas e o quanto precisa economizar para comprar. Por exemplo: uma bala por R$0,25 – quantas moedas de R$ 0,25 são necessárias para comprar 5 balas? Vá fazendo esse tipo de questionamento, isso fará com que a criança crie o hábito de calcular, além de começar a entender se aquilo vale ou não o investimento.

O que é interessante ensinar?

No mundo das finanças há uma diversidade de coisas para tomar conhecimento, mas a questão é: o que é interessante ensinar na educação financeira desde a infância? Abaixo, apresentaremos algumas sugestões do que seria legal inserir aos poucos na vida das crianças, mas claro, fica a seu critério saber o que é relevante ou não para seu filho aprender. Vamos às sugestões!

→ Entender o valor do dinheiro: Já diziam nossos pais, “dinheiro não nasce em árvore”. Ensinar o real valor do dinheiro, sua importância e tudo que pode ser conquistado com ele é essencial. Ensine a criança a sonhar, a ter objetivos. Assim ela irá se esforçar para economizar e conquistar o que desejou.

→ Onde guardar o dinheiro: Como já sugerido, ter onde guardar o dinheiro é muito importante. Além de evitar perdê-lo, ajuda a criança a ter mais segurança de onde seu dinheiro está. Deixe a conta bancária para um outro momento, mas procure explicar as diferentes formas de guardar o dinheiro que ela terá, como poupança, investimentos e por aí vai.

→ Registro de gastos: Sabemos que, para ter controle de nossos gastos, precisamos saber para onde nosso dinheiro vai, não é mesmo? Ensine seus filhos a ter esse controle, em um caderno eles podem anotar o que compram, o que desejam comprar, o quanto será preciso juntar, quanto dinheiro já têm guardado e outras informações relativas ao seu dinheiro.

→ Divisão de gastos: Quando recebemos nosso salário costumamos destinar alguns valores a determinadas contas e gastos extras. Faça com que a criança aja da mesma forma com sua mesada. Ela pode determinar diferentes partes do valor que ganha para os três cofrinhos, os quais sugerimos mais acima. Dessa forma, ela estará economizando e destinando seu dinheiro para diferentes sonhos.

→ Necessidade e querer: Todos nós já gastamos dinheiro com coisas desnecessárias. Ensine a diferença do querer e precisar. No começo haverá tropeços, mas a criança vai aprendendo o que não são bons investimentos para ela.

Como você pode ver, fazer a educação financeira desde a infância é algo importante e que pode gerar resultados positivos para o futuro dos pequenos. Lembre-se que eles estarão em um momento em que tudo é novidade, principalmente quando se trata desse assunto.

Comece com calma e colha os frutos futuramente!

Nos acompanhe no Facebook!

12 Brincadeiras de Infância

12 Brincadeiras de Infância – baixe nosso ebook

Há coisa melhor que aproveitar o final de semana com os filhos? Existe uma diversidade de brincadeiras que marcaram nossas infâncias e podem aproximar pais e filhos. Nesse sentido, preparamos um material para “refrescar” sua memória.

Brincar é uma atividade imprescindível para o desenvolvimento motor e a formação da criança. O tempo compartilhado com seu filho estabelece vínculos estáveis e duradouros.

Baixe nosso Ebook agora mesmo →

27/02/2019
Jade Zart