Sinais de que seu filho precisa de um psicólogo

As crianças crescem tão rápido! E, ao longo da infância e da adolescência, o que os pais mais desejam é que os seus filhos cresçam saudáveis e sintam que estão bem consigo mesmos.

No entanto, uma rotina atribulada e a falta de um olhar mais cuidadoso para o comportamento das crianças podem deixar passar batida a necessidade de ajuda profissional durante o crescimento do seu filho. Será que é o seu caso?

Pode ser difícil para os adultos definir se algumas atitudes são normais – e passageiras – ou se existe algo que deve ser investigado com mais atenção porque foge do que poderia ser considerado “normal” para certas idades em determinados contextos.

É fato que, durante toda a vida, temos períodos de altos e baixos emocionais. Percebemos que isso acontece desde a infância. Assim, até certo ponto, alterações de humor, problemas com os amigos e familiares, ansiedade e dificuldades na escola são normais. 

É comum que mudanças na vida da criança, como a separação dos pais, mudança de endereço ou de escola ou a chegada de um irmãozinho mais novo, por exemplo, desencadeiem alterações de comportamento, seja insegurança, medo, raiva, ciúme ou ansiedade.

Todavia, faz parte do jogo da vida superarmos as adversidades com mais leveza à medida que crescemos. Enquanto as crianças mais novas costumam fazer birra por ainda não conseguirem expressar as suas frustrações da melhor forma, conforme crescem, as crianças mais velhas devem responder de uma maneira mais serena às dificuldades enfrentadas. 

Quando começam a aparecer sinais de algo mais sério no comportamento das crianças, como perda de interesse por atividades rotineiras, agressividade, choro frequente, apatia, baixa autoestima, isolamento social e o acolhimento por parte da família parece não ser suficiente, pode ser a hora de procurar ajuda especializada.

Quer conhecer alguns sinais de que seu filho precisa de um psicólogo? Continue a leitura! 🤓

6 sinais de que seu filho precisa de um psicólogo

O psicólogo é o profissional capacitado para ajudar tanto adultos quanto crianças a entenderem e lidarem com as suas emoções da melhor maneira possível. Por essa razão, alguns dos sinais abaixo podem indicar que é o momento de considerar uma consulta com o psicólogo a fim de compreender efetivamente o porquê de certos comportamentos e incidir sobre eles. Assim, será possível proporcionar mais qualidade de vida e um desenvolvimento infantil adequado ao seu filho. Fique atento! 🧐

1. Alteração brusca ou exagerada de comportamento

Mudanças no comportamento da criança são normais à medida que crescem ou enfrentam situações novas no dia a dia. Sendo assim, não se trata necessariamente de um problema. Entretanto, fique atento para ver se essas mudanças não prejudicam a saúde ou os relacionamentos do seu filho. Tais alterações comportamentais podem se mostrar na alimentação (falta ou aumento de apetite), no sono (resistência para dormir sozinho e xixi na cama) e na escola (problemas de relacionamento com os colegas ou de aprendizagem). A escola merece atenção especial dos pais pois é o lugar onde os pequenos mais passam o seu tempo e exercem a sua personalidade depois do próprio lar. 🎒

2. Comportamentos agressivos

Ninguém conhece melhor o seu filho do que você! Assim, você sabe se o pequeno apresenta um temperamento calmo frente a situações adversas ou se costuma reagir com mais fervor. Quando os comportamentos passam a ser agressivos e geram conflitos entre pais e filhos ou entre os coleguinhas, a primeira intervenção deve ser dos pais, procurando entender as razões para tais atitudes e estratégias para contorná-las. Porém, quando apenas uma conversa amistosa não se provar eficaz, pode ser um sinal de que seu filho precisa de um psicólogo. 💥

3. Muita agitação, inquietude ou dificuldade em manter a atenção

Se o seu filho demonstra muita agitação, inquietude ou dificuldade em manter a atenção nos estudos ou mesmo lendo um livro de que ele goste e assistindo à TV, por exemplo, buscar ajuda profissional é recomendado. É claro que as crianças têm muita energia para gastar e, por isso, costumam estar a todo vapor em boa parte do tempo. Contudo, se isso ocorrer demasiadamente e começar a prejudicar a qualidade de vida dos pequenos, além do seu rendimento nos estudos, levá-los a um psicólogo e, eventualmente, a um médico, pode tornar as coisas mais fáceis. 🤸‍♀️

4. Problemas escolares

A escola configura-se como uma excelente oportunidade para detectar se há algo de errado com os pequenos e se o seu filho precisa de um psicólogo. Sendo, logo após a família, a segunda instituição de socialização da criança, ela desempenha um papel de suma importância na vida dos pequenos. Se houver algum comportamento atípico relacionado à escola, um psicólogo pode ajudar a descobrir os motivos. Atente-se às notas dos seus filhos e ao modo como se referem à escola e aos colegas. Às vezes, a criança pode estar sofrendo bullying ou sendo vítima de outras formas de violência. Não se esqueça de que você pode sempre conversar com os professores e coordenadores pedagógicos da escola do seu filho. ‍👨‍🏫

5. Regressão de alguma fase do desenvolvimento

A insegurança sentida pela criança em ocasiões como a chegada de um irmãozinho, por exemplo, pode acarretar regressão de alguma fase do desenvolvimento. Fique atento aos sinais. Se você perceber que seu filho precisa de um psicólogo para lidar com questões desse tipo, não hesite em procurar ajuda profissional. 🚼

6. Saúde prejudicada, principalmente quando não há uma causa biológica

Muitas vezes, adoecemos antes mesmo de aparecerem os sintomas físicos. Quando nós os percebemos, eles podem ser consequência de problemas emocionais que não conseguimos verbalizar anteriormente. Com as crianças, esse também pode ser o caso. Por isso, fique atento à saúde do seu filho. Se ela estiver prejudicada e não houver uma causa biológica aparente (como alterações de sono, apetite ou um banho de chuva), pode ser sinal de que seu filho precisa de um psicólogo. 👥

Como é o trabalho do psicólogo infantil?

Conforme dito anteriormente, o psicólogo é o profissional que deve ser procurado pelos pais caso perceba a persistência de um ou mais dos sinais acima. No entanto, é recomendado procurar um psicólogo que seja especialista em crianças e adolescentes, porque a abordagem com esse público é diferente da abordagem que se tem com um adulto.

A escola pode ser uma ótima parceira neste momento. Uma conversa com a coordenadora ou a psicóloga escolar poderão ajudar a verificar se existe esta necessidade. 

A abordagem do psicólogo infantil parte do lúdico. Assim, as sessões consistem em dinâmicas com brincadeiras, e as perguntas são feitas de forma indireta às crianças. É por meio do ato de brincar que o psicólogo conseguirá acessar as suas questões íntimas mais facilmente, pois as brincadeiras consistem também em uma valiosa forma de comunicação e expressão por parte dos pequenos.

O envolvimento ativo da família (principalmente dos pais) é de suma importância para que o processo terapêutico da criança seja bem-sucedido. Segundo Sarah Helena, psicóloga e escritora, é essencial que os pais conheçam os seus filhos minuciosamente, observando de perto o seu conhecimento, para que possam contribuir com o trabalho do psicólogo. 

Pode ser recomendado, inclusive, que os próprios pais façam algumas sessões de terapia, para que se tornem conscientes de algumas atitudes que, de certa maneira, possam estar interferindo no comportamento dos seus filhos. 👩‍👩‍👧‍👦

Busque ajuda profissional

Se você tiver notado a presença dos sinais acima, não tenha medo de conversar sobre o assunto com o seu filho. O que mais ocorre, contudo, é o fato de os próprios pais não acreditarem tratar-se de algo sério e mascararem o problema. Não faça isso! A ajuda profissional será bem-vinda e permitirá que a criança aprenda novas estratégias e habilidades para lidar com os seus problemas. No final, será recompensador para pais e filhos, e eles irão lhe agradecer por isso. 🧒

⚠️ ATENÇÃO: o conteúdo deste post é meramente informativo e não tem a intenção de substituir o aconselhamento profissional de um psicólogo ou qualquer outro agente de saúde. Conforme relatamos neste post, o recomendado é buscar um profissional especializado para mais informações sobre o tema.

Ensino Fundamental 2 - do 6º ao 9º ano

Ensino Fundamental 2 – do 6º ao 9º ano

O Ensino Fundamental II marca uma nova e importante etapa na vida acadêmica dos alunos. As mudanças que ocorrem neste momento são evidenciadas pelos seguintes aspectos:

  • Aumento da demanda de estudo em casa;
  • Aumento das responsabilidades;
  • Necessidade de desenvolver mais autonomia;
  • Número maior de professores e conteúdos;
  • Transição da infância para a pré-adolescência.

Conheça nosso projeto pedagógico para alunos do Fundamental 2 →

10/12/2020
Gabriel Walter Fuchsberger