Como falar sobre dificuldades financeiras com os filhos?

Falar sobre dificuldades financeiras com os filhos pode ser um desafio. Entenda a importância do assunto para a educação de crianças e jovens.

Muitos pais mantêm as “conversas de adulto” bem longe das crianças, evitando quaisquer assuntos mais sérios e que envolvam problemas e responsabilidades. Mas falar sobre dificuldades financeiras com os filhos pode ser bastante positivo, tanto no contexto familiar, quanto na preparação dos pequenos para a vida adulta e o futuro.

Uma vez que a instabilidade econômica no país atinge todas as camadas sociais, mesmo aqueles que possuem emprego estável e boas condições de vida podem se ver diante de problemas dessa ordem. 

Seja uma demissão, a falência da empresa, gastos imprevistos com saúde, entre outros, ao se deparar com tais questões, os pais podem sentir a necessidade de falar sobre suas dificuldades financeiras e explicar uma situação inesperada, que afetará toda a família.

Mas afinal, como tratar de aspectos tão delicados como estes? Acompanhe no artigo algumas dicas para esta conversa importante!

Envolver ou não os filhos nas questões financeiras da família?

Sabemos que a decisão de falar sobre dificuldades financeiras com os filhos é um tanto difícil, exigindo cautela e cuidado na abordagem do tema. Alguns pais e mães temem que envolver crianças e adolescentes nestas questões familiares pode fazer com que eles se sintam pressionados a lidar com assuntos que possam causar preocupação ou sofrimento.

Mas mesmo numa fase onde os “problemas de gente grande” devem ficar em segundo plano, é importante que os filhos compreendam as dificuldades, sempre de acordo com sua capacidade de entendimento, para também contribuir com a organização familiar.

Portanto, a decisão de trazer o assunto à tona e envolver todos os membros da família numa conversa séria sobre questões financeiras depende muito do quanto a dificuldade que se apresenta pode, de fato, refletir no convívio familiar e nos projetos conjuntos e individuais.

Mas se você optar por envolver seus filhos nestas questões, vale seguir as dicas que listamos a seguir.

Como falar sobre dificuldades financeiras com os filhos?

Chegou a hora de reunir a família para uma conversa cujo assunto pode não agradar. Em alguns casos, demonstrar que os limites precisam mesmo ser respeitados em prol de um bem maior, mesmo que cause algum aborrecimento, sobretudo em adolescentes que passam por uma fase de rebeldia e maior individualidade. Já as crianças podem não entender muito bem a seriedade do assunto. 

Mas falar sobre dificuldades financeiras com os filhos é algo que não pode mais ser adiado, certo? Então siga alguns passos para tornar esse momento mais leve:

Organize horário onde todos estejam presentes para uma conversa

Pode ser durante um gostoso café da tarde ou mesmo fora de hora, o importante é marcar um horário em que todos estejam disponíveis para conversar. Contudo, o ideal é preparar um momento que possa trazer conforto e que seja agradável, sem um clima de tensão ou com “cara de problema”.

Outro fator importante é o tempo. Certifique-se de todos estejam livres, sem compromissos agendados, horários de estudo etc, para não haver pressa em terminar a conversa.

Peça aos integrantes da família para elencar seus sonhos, definindo o valor deles

Uma forma agradável de iniciar a conversa — e até lúdica para as crianças — é falar dos sonhos e desejos de cada um.

Assim, antes de falar sobre dificuldades financeiras com os filhos, peça para cada membro da família elencar os sonhos que possuem, seja uma viagem, um smartphone ou videogame, trocar de carro, ter uma piscina em casa… O importante é que todos façam suas listas, de preferência em ordem de maior importância. 

Depois, separe por itens individuais e coletivos, que são aqueles em que toda a família é beneficiada. Feito isso, é hora de definir quanto custa cada sonho e mostrar para os filhos que todos eles possuem um valor que precisa ser pago para que seja realizado.

Isso serve para que as crianças, principalmente, entendam que existem coisas que custam mais dinheiro e outras menos. E que os desejos mais caros podem levar mais tempo e exigir mais esforço, como por exemplo, abrir mão de algum outro sonho.

Explique para seus filhos de onde vem o dinheiro

Ao falar sobre sonhos e o custo financeiro deles, é hora de explicar para as crianças de onde vem o dinheiro. Muitas sabem sobre o trabalho e conhecem as profissões da mãe e do pai, mas nem sempre compreendem que tudo que é adquirido vem daí.

Portanto, falar que o trabalho é meio necessário para se obter o dinheiro, e que só assim é possível comprar alimento, pagar contas e dar presentes serve para que elas entendam que há uma troca: trabalho por dinheiro e dinheiro por bens, sejam eles materiais ou não.

Desse modo elas passam a entender a importância do trabalho e a valorizar o esforço da família, especialmente em momentos mais críticos. Ou seja: quanto mais dinheiro precisa, mais trabalho deve ser feito. Do contrário, muitas coisas deixam de ser possíveis.

Descreva o contexto das dificuldades (perda do emprego, dívida, etc)

No caso de pais que precisam falar sobre dificuldades financeiras com os filhos adolescentes e jovens, esses já compreendem as relações de trabalho, devendo apenas entender que certas restrições podem ser necessárias se o dinheiro não for bem administrado.

Por isso, num contexto de crise, é preciso comunicar as mudanças na situação e suas causas, para que todos saibam que é hora de fazer economia, e por isso alguns cortes no orçamento serão necessários.

No entanto, lembre-se de transmitir a informação com segurança, de modo assertivo, mas paciente. Explique que se trata de um problema passageiro e que as coisas voltarão ao normal em breve. Nesse momento, é fundamental fazer com que os filhos compreendam o quanto são essenciais no contexto familiar e que a ajuda mútua nesta hora é fundamental para ajudar a resolver a situação.

Uma boa dica é estabelecer uma meta e definir algum tipo de “prêmio” para celebrar quando a crise se der por encerrada. Pode ser um passeio, um jantar especial ou a aquisição de um bem que todos desejam há muito tempo.

Apresente as despesas da casa

Falar sobre dificuldades financeiras com os filhos envolve mostrar a eles qual o destino do dinheiro e porque ele é tão importante. Por isso, apresentar cada despesa da casa, incluindo a escola, o transporte, etc, é necessário para que eles saibam o quanto estão envolvidos nesse processo.

Nessa hora, com calma e atenção, mostre as contas de energia elétrica e internet, o custo das compras de supermercado, o valor da mensalidade da escola, o preço das roupas e brinquedos, e faça um cálculo básico comparado ao seu salário.

Isso fará com que percebam que evitar desperdícios não se trata de uma punição ou algo do tipo, mas de uma necessidade para que não falte nada de essencial para a família.

Como agir quando a mesada precisa ser reduzida ou até mesmo temporariamente suspensa?

Do mesmo modo que os adultos precisam lidar com suas perdas financeiras, também pode ser preciso que as crianças aprendam a lidar com a redução ou o corte da mesada em situações de dificuldade financeira.

Quando os pais entendem que será necessário tomar uma medida mais drástica, isso deve ser explicado de forma simples, objetiva e honesta. Assim, ao falar sobre as dificuldades financeiras com os filhos e explicar a suspensão ou redução da mesada, é preciso dizer por que a medida está sendo tomada.

Uma vez que a mesada é parte do orçamento dos pais, ao haver uma redução, consequentemente todas as despesas, nas quais a mesada está incluída, precisam ser reduzidas também.

Crianças e adolescentes que ganham mesada devem aprender desde cedo a administrar suas próprias finanças. Isso é importante para que desenvolvam o senso de economia e saibam escolher onde gastar seu dinheiro. 

E mesmo que se sintam prejudicados, esta é uma lição que será fundamental para a vida adulta, para que os pequenos se tornem pessoas organizadas e sem maiores problemas financeiros.

Ensino Fundamental 2 - do 6º ao 9º ano

Ensino Fundamental 2 – do 6º ao 9º ano

O Ensino Fundamental II marca uma nova e importante etapa na vida acadêmica dos alunos. As mudanças que ocorrem neste momento são evidenciadas pelos seguintes aspectos:

  • Aumento da demanda de estudo em casa;
  • Aumento das responsabilidades;
  • Necessidade de desenvolver mais autonomia;
  • Número maior de professores e conteúdos;
  • Transição da infância para a pré-adolescência.

Conheça nosso projeto pedagógico para alunos do Fundamental 2 →

28/07/2021
Kélen Oliveira